Terça-Feira, 16 de Outubro -

  •  

    Secor, Sindigráficos e outras entidades mobilizam trabalhadores contra a reforma da Previdência

    Na última segunda-feira, 19/2, o Sindicato dos Gráficos de Barueri, Osasco e Região (Sindigráficos) estive ativo no Dia Nacional de Mobilização Contra a Reforma da Previdência.

    Durante a manhã, o Sindicato realizou panfletagem em frente à estação da CPTM de Barueri do material “Se botar para votar, o Brasil vai parar”, com o chamamento das centrais sindicais para a mobilização dos trabalhadores e resistência contra a reforma da Previdência. O trabalho de conscientização e mobilização da população aconteceu também em frente à agência de INSS da cidade, onde o material continuou sendo entregue. Os atos em Barueri e região foram organizados e realizados em conjunto com o Coletivo Contra a Reforma da Previdência.

    À tarde, o Sindigráficos engrossou a voz das mais de 20 mil pessoas que ocuparam a Avenida Paulista.

    Segunda também foi dia de luta para o Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região (Secor), que, ao lado das entidades do Coletivo Contra a Reforma da Previdência, realizou atos pela cidade de Osasco contra a medida e em defesa dos direitos dos trabalhadores.

    No Largo de Osasco, o Sindicato fez panfletagem do material “Se botar para votar, o Brasil vai parar”. Após a distribuição do material, foi a vez de os manifestantes irem aos postos do INSS de Carapicuíba e Barueri, onde continuaram o trabalho de mobilização e conscientização com a população.

    A manifestação contou com a participação da bateria do movimento estudantil de Osasco, que entoaram palavras de ordem contra o governo Temer.

    De forma geral, o Coletivo Contra a Reforma da Previdência realizou manifestações em frente às estações da CPTM de Osasco, Itapevi, Jandira, Barueri, KM 21, Carapicuíba e Presidente Altino, além de agências do INSS.

    Em todo o Brasil, o dia 19/2 foi de grandes atos, passeatas, manifestações e greves. Em todas as regiões do país, a CUT e demais centrais mobilizaram os trabalhadores, que, mais uma vez, mostraram que a união e a pressão das ruas fazem toda a diferença. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, referente à reforma da Previdência, foi arquivada por determinação do presidente do Senado, Eunício Oliveira, e não pode ser colocada em pauta este ano.