Segunda-Feira, 17 de Dezembro -

  • Prefeitura e Exército não entram em acordo e entrega do “Miguel Costa” segue indefinida

  •  

    Nessa terça-feira (4), a Prefeitura de Osasco enviou equipes para realizar as obras de recapeamento na via de acesso ao Conjunto Habitacional Miguel Costa, construído em área anexa ao Exército, em Quitaúna.

    A obra atenderá a 960 famílias. Parte delas antes moravam ali em condições precárias e outras são oriundas do Rochdale e Jd. Santa Rita. As unidades habitacionais estão praticamente prontas e, na semana passada, homens do Exército impediram o acesso dos caminhões, alegando que a via, ao lado do quartel, é para uso exclusivo das unidades militares.

    As famílias que antes moravam ali chegavam na área pelo acesso de nível da estação de trem – onde há uma cancela – que dá acesso a uma via pública (entre o Quartel do Exército e a linha férrea).

    Agora, para acessarem o conjunto residencial, teriam que usar uma nova saída pela extensão da avenida Marginal (Avenida das Nações Unidas), mas para a conclusão da extensão dessa via seria necessário a seção de área da União/Exército de aproximadamente 340 metros de comprimento e 15 metros de largura.

    Prefeitura e Exército ainda não entraram em acordo, pois o Exército está relutante em ceder a área (aproximadamente 340 metros de comprimento e 15 metros de largura), alegando que ocupar o Conjunto Habitacional comprometeria a segurança da unidade militar.

    Sendo assim, as equipes enviadas hoje não puderam terminar a pavimentação da rua e a entrega dos apartamentos segue com data indefinida.