Domingo, 21 de Janeiro -

  • Pai de santo benze Michel Temer

  • Uma cena curiosa marcou a convenção do PMDB, nesta terça-feira, 19/12, em São Paulo. Um pai de santo subiu ao palco para benzer Michel Temer. Segundo Roberval Uzêda, o Pai Uzêda, o Partido dos Trabalhadores (PT) fez uma “macumba para ele (Temer) morrer no hospital”. Quando assessores do presidente viram o pai de santo no palco com Temer, ficaram assustados e pediram para que o homem fosse retirado do local. Temer, um pouco constrangido, sorriu e chegou a abrir os braços para receber o “passe”. Vestido de branco e segurando ramos de uma planta chamada guiné, “usada contra morte e doença”, o pai de santo disse que esteve no Palácio do Jaburu e no gabinete de Temer no Palácio do Planalto e que foram encontrados “quatro bonecos” de vodu contra o presidente. “Eu fui defumar, benzer, tirar tudo. Era uma urucubaca brava ali”, contou. Bastante agitado, ora dizia ter sido contratado por “dona Marcela” ora pelo PMDB. Questionado há quanto tempo conhecia a primeira-dama, disse apenas que ela era “linda, maravilhosa”. O pai de santo, que diz ser da “umbanda da linha branca”, usava um crachá de “convidado” da convenção. O PMDB negou que tenha contratado os serviços do místico.

     

    Abono para professores de Osasco

    Foi aprovado, por unanimidade, em 1ª votação, na sessão da Câmara de Osasco, desta terça-feira, 19/12, o Projeto de Lei, de autoria do Executivo, que concede abono, no valor total de R$20 milhões, aos professores da rede municipal. Para entrar em vigor, e ser paga, ainda este ano, o projeto deve passar por uma 2ª votação, prevista para esta quinta-feira, 21/12.

    Os recursos do bônus são provenientes de resíduos do Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica), que é formado por recursos federal, estadual e municipal para investimento no setor. Serão contemplados professores de Desenvolvimento Infantil, Educação Básica, adjuntos e da Educação Especial, além de diretores, vices, coordenadores de escolas e supervisores de ensino. Os vereadores também aprovaram uma emenda ao projeto, que derruba o não pagamento do bônus a professores que têm faltas injustificadas.

     

    Projeto dos médicos fica para 2018

    Tudo caminhava para a aprovação, mas, a novela envolvendo o Projeto de Lei Complementar 31/2017, que extingue os cargos de médicos plantonistas e diaristas da rede de saúde de Osasco continua. Na sessão desta terça-feira, 19/12, o prefeito de Osasco, Rogério Lins (PODE) encaminhou um requerimento, que foi lido no plenário, pedindo a retirada do projeto da pauta de votação. Na justificativa, o chefe de executivo alegou que é necessário uma análise mais profundo do impacto financeiro da medida. Com isso, o projeto só deve ser votado, na volta do recesso, em 2018. Pela proposta, todos os profissionais da rede passariam a ter a denominação única de “médico”. A alteração permite equiparação salarial entre aqueles que mantêm jornada de 12 horas (plantonistas) ou 20 horas semanais (diaristas). O valor da hora trabalhada passaria a ser de R$65,60. Com a retirada do projeto da pauta, médico que estavam no plenário ficaram indignados e chegaram a distribuir uma carta aberta onde responsabilizam o prefeito Rogério Lins pelos problemas que atingem o sistema de saúde de Osasco. Segundo o SIMESP (Sindicatos dos Médicos de Osasco), “além da falta de insumos básicos e a estrutura precária das unidades, a cidade sofre com a quantidade de médicos que pediram demissão devido aos baixos salários e péssimas condições de trabalho”, diz o documento.

     

    Carapicuíba aprova orçamento de 2018

    A Câmara Municipal de Carapicuíba, sob a presidência do vereador Ronaldo Souza (SD), aprovou, em segunda discussão, o Projeto de Lei n° 2.318/2017, que estima a receita e fixa a despesa do município para o exercício de 2018. De acordo com o documento, que já foi sancionado pelo prefeito Marcos Neves (PV) e publicado oficialmente, a Prefeitura contará com um orçamento de R$ 578 milhões no próximo ano. Deverão ser gastos em Educação mais de R$ 139 milhões, e em Saúde, R$ 129 milhões. Já Segurança Pública, outra área vista como fundamental pela população, contará com R$ 3 milhões, cerca de 0,5% do orçamento anual.