Segunda-Feira, 17 de Dezembro -

  • Osasco é uma das 100 melhores cidades para se fazer negócios

  • Osasco ocupa a 22ª posição no ranking das 100 melhores cidades do Brasil para se fazer negócio, com 11,99 pontos. A divulgação ocorreu no dia 31/10, na revista Exame (www.exame.com – pág. 44-50), após pesquisa feita pelo Instituto Urban Systems.

    Foram analisados 42 indicadores para se chegar ao ranking das melhores cidades para se fazer negócios, investir e empreender. Foram avaliados os municípios com mais de 100 mil habitantes, cujas somas totalizaram 37,5 pontos, levando-se em conta a importância e a atualidade.

    Além desse indicador, outros quatro fatores registraram as cidades mais promissoras para se fazer negócios, sendo eles Desenvolvimento Econômico, Capital Humano, Desenvolvimento Social e Infraestrutura.

    Na Grande São Paulo, além de Osasco, também estão na lista, Barueri em 5º lugar, com 13,10 pontos, e Santana de Parnaíba, que segue na 28ª posição, com 11,78 pontos.

    No ranking geral, Vitória (ES) foi a cidade mais bem avaliada, liderando a primeira colocação, com 13,80 pontos. São Caetano em segundo lugar, com 13,68 pontos, e a capital paulista em terceiro, com 13,31 pontos.

    Osasco tem investimentos em Obras, Saúde, Educação, Esporte, Cultura, Habitação, Infraestrutura, entre outras. O município é a 2ª maior economia do Estado e o 8º maior PIB (Produto Interno Bruto) do país.

    A cidade está entre as melhores em outros indicadores como no ranking da Connected Smart Cities, elaborado pela Urban Sistems ano passado, onde ocupa a 56ª posição como cidade inteligente e conectada. Possui um Centro de Operações Integradas (COI) com 62 câmeras de alta tecnologia espalhadas pela cidade para monitoramento de 268 ruas e avenidas.

    É a 7ª colocada na região Metropolitana de São Paulo em indicadores de qualidade de vida e bem-estar, segundo o Observatório das Metrópoles de Bem-Estar Urbano dos Municípios Brasileiros. A cidade possui 14 parques municipais, um Borboletário, museus, teatros, escola de artes, academias municipais, espaço para grandes eventos como a Concha Acústica da Fito e o Centro de Eventos Pedro Bortolosso, entre outros.

    É sede de duas grandes emissoras nacionais, hotéis, grandes centros econômicos e possui o segundo maior polo comercial do estado, que é o Calçadão da Rua Antônio Agú.

    A cidade é ainda considerada a sétima das 100 melhores cidades no ranking Delta Economics & Finance/América Economia, publicado em 2017 pela revista Exame, e é considerada a 47º das cem grandes cidades do Brasil, segundo o ranking desenvolvido pela Macroplan, divulgado em março 2017.