Quarta-Feira, 13 de Dezembro -

  • Mulheres ‘invadem’ a Câmara em apoio a vereadora Régia 

  • “Mexeu com uma, mexeu com todas”. Essa foi uma das frases de ordem ditas por um grupo de mulheres, que com cartazes e faixas, compareceu à sessão da Câmara de Osasco, nesta terça-feira, 03/10, em defesa da vereadora doutora Régia (PDT), que registrou Boletim de Ocorrência contra o vereador Pelé da Cândida (PSC) por ameaça. A parlamentar ganhou o apoio de diversas entidades que encaminharam à Câmara moções de repúdio e pedidos de punição contra o vereador.

    A briga entre Régia e Pelé ocorreu, na sessão da última quinta-feira, 29, no plenário e nos corredores da Câmara. Tudo começou quando Pelé pediu para o presidente da Casa, vereador Dr. Lindoso (PSDB) retirasse um jornalista do setor destinado à imprensa, onde podem ficar apenas repórteres credenciados. Lindoso designou Régia para a tarefa que averiguou todos. Ela constatou que o jornalista tinha uma credencial, inclusive, dada pela Câmara Municipal. Irritado, Pelé questionou e disse que um Guarda Municipal deveria ter sido acionado e não a vereadora.

    A confusão começou dentro do plenário. Pelé passou a reclamar constantemente. Mas, a situação mais grave aconteceu quando a sessão chegou no intervalo e os vereadores se dirigiam para a sala de estar. Segundo Régia, bastante alterado, nos corredores Pelé destilou uma série de palavrões.

     

    Pelé não se manifesta

    Durante a manifestação, o vereador Pelé da Cândida (PSC) não se manifestou. Assim que entrou no plenário, ele foi recebido com vaias e sob os gritos de “machista”. Durante a sessão, o parlamentar ouviu a leitura das moções de repúdio das entidades que se manifestaram em defesa de Régia e que exigiam um posicionamento da Mesa Diretora da Casa.

    Em sua rede social, Pelé postou um vídeo negando todas as acusações. Ele afirma não ter xingado, agredido ou ameaçado a parlamentar de morte e nega ter comparecido embriagado à sessão. Ele não usou a tribuna.

    Ao final da sessão de expediente, Pelé deixou o plenário e, assim como a maioria dos vereadores, não voltou para a Ordem do Dia, o que culminou com o fim da sessão.