Quarta-Feira, 19 de Setembro -

  •  

    GCM apoia megaoperação das polícias Civil e Militar em Osasco

    A Guarda Civil Municipal de Osasco e as polícias Civil e Militar ocuparam as ruas da cidade, desde as 6h da manhã de quarta-feira, 20/12, para uma megaoperação, visando a segurança da população e dos consumidores, que estão realizando as compras de final de ano.

    A operação teve bloqueio de veículos nos principais acessos e saturação, com revista de pedestres, motoristas e motociclistas. A Guarda Civil Municipal intensificou o patrulhamento dos principais corredores com a equipe de motociclistas, a fim de facilitar o deslocamento. Antes de darem início aos bloqueios, todas as equipes se reuniram em frente à Prefeitura de Osasco.

    A ação é um complemento às operações especiais de Natal como a realizada pela Guarda Civil Municipal desde o dia 1/12 nos principais polos comerciais de Osasco, com destaque para o Calçadão da Rua Antonio Agú, que recebe um público diário de 350 mil pessoas.

    A Operação Natal Seguro, desenvolvida pela GCM, conseguiu evitar que um golpista espalhasse R$ 1,7 mil moedas falsas no comércio do Calçadão. Ele estava oferecendo moedas de R$ 1 aos comerciantes, mas foi surpreendido pelos guardas municipais e acabou confessando o golpe: as moedas eram falsas.

    Os guardas civis municipais tambérm impediram o furto de um aparelho de televisão de uma loja. Um homem pegou um dos aparelhos em exposição e tentou fugir. Acionados pelos funcionários, os guardas conseguiram deter o suspeito.

    Para a Operação Natal Seguro, foram mobilizados 150 GCMs do Núcleo de Operações Especiais, Ronda Escolar, Ciclistas e Motociclistas, além de equipes dos plantões operacionais. A operação, que começou dia 1/12, segue até 24/12 das 10h às 22h.

    Amigo da Criança

    Durante a Operação Natal Seguro, a Gaurda Civil Municipal adotou uma medida que agradou os frequentadores do comércio. Eles distribuem pulseiras de identificação para as crianças, onde são colocados nomes e telefones dos responsáveis. Com a pulseira, os guardas já conseguiram promover o reencontro dos pais e dois meninos, de 8 e 11 anos, que haviam se perdido.