Segunda-Feira, 17 de Dezembro -

  • Gastronomia abre espaço para debate sobre a questão dos refugiados residentes no Brasil

  •  

    No próximo sábado, 8 de dezembro, o Sesc Osasco abre as portas para a comunidade e oferece uma experiência exclusiva: saborear pratos típicos das culinárias árabe, africana e sul-americana, preparados por refugiados de oito países. O evento vai coroar as atividades da segunda edição do Sabores do Refúgio – das memórias ao paladar, realizada em parceria entre Senac Osasco, Sesc Osasco e Acnur no Brasil (agência da ONU para refugiados).

    A iniciativa começou em janeiro, quando o Sesc reuniu oito refugiados do Paquistão, Nigéria, Peru, Venezuela, Marrocos, Senegal, Síria e Moçambique com a proposta de indicá-los para serem tutores dos alunos da área de alimentação do Senac, no projeto integrador dos cursos técnicos em Cozinha e em Nutrição, um plano transversal que destaca técnicas de cozinha nacional e internacional.

    Ao longo do ano, foram feitos cinco encontros entre os refugiados e os alunos dos cursos. A proposta era que eles elegessem pratos que traduzissem a cultura de seu país. As receitas seriam trabalhadas pelos alunos, durante o ano letivo até a montagem do cardápio final.

    A variedade desse cardápio foi conferida por convidados do Senac entre os dias 20 e 30 de novembro. Em cada dia foi homenageado um país diferente. Os convidados, também, puderam conferir uma exposição de obras de arte produzidas pelos alunos do Programa Senac de Aprendizagem, que contou com a mesma tutoria dos refugiados.

    “Mais do que ensinar técnicas, a proposta foi integrar os alunos com os refugiados, abrir espaço para o debate sobre a questão do refúgio no Brasil e entender quem é o refugiado, como é sua situação e o que o impulsionou a chegar até aqui. A gastronomia é a porta de entrada para isso. A cultura está nos ingredientes da cozinha. Ao descobrir como é a comida de um país, você entende mais sobre sua cultura”, destaca Clara Vidal, docente da área de alimentação do Senac Osasco.

     

    Gastronomia e cultura

    Claudia Itano, gerente do Senac Osasco, lembra que o projeto Sabores do Refúgio começou a partir de uma conversa em torno de uma mesa com o Sesc e a Acnur no Brasil, que ajudou a selecionar os refugiados: “Pensamos, por que não trabalhar a cultura de uma forma pedagógica para que os refugiados compartilhassem com a gente um pouco da gastronomia e da cultura do país, que, de outra forma, talvez não tivéssemos acesso”.

    Para os refugiados, foi uma experiência importante e rica do ponto de vista do relacionamento humano. O peruano, Carlos Ernesto Durand Lianos, que trabalhou em seu país como administrador de produção de fumo, disse que “foi um encontro com uma cultura maravilhosa; jamais vou esquecer do impacto de conhecer o ‘tutu à mineira’, e mais do que isso, ficará comigo todo o suporte que tive do Senac por meio da participação nos cursos. Refirmou meu compromisso em ser uma pessoa de bem”.

    A venezuelana Marifer Vargas, que trabalha atualmente em uma ONG especializada no atendimento a refugiados, “ficou surpresa com o porte do projeto social conduzido pelo Senac em parceria com o Sesc e com todo o portfólio. “O trabalho das marcas vai além de ensinar uma profissão, transforma a vida das pessoas”.

    Os estudantes, também, foram muito impactados. Ronald Alex, de 21 anos, destacou que “participar da ação com os refugiados foi muito enriquecedor. Nesses momentos de integração na cozinha, pudemos conhecê-los mais de perto e entender os motivos que os trouxeram ao Brasil, compreender suas angústias e desafios. O projeto melhorou a convivência em grupo, pois exigiu que algumas atividades fossem feitas em conjunto e despertou minha consciência para compreensão dos dilemas de outras pessoas”.

     

    Serviço

    Evento: Sabores em Refúgio – das memórias ao paladar

    Sesc Osasco

    Data: 8 de dezembro de 2018

    Horário: sábado, a partir das 14 horas

    Endereço: Av. Sport Club Corinthians Paulista, 1.300 – Jardim das Flores, Osasco/SP