Segunda-Feira, 17 de Dezembro -

  • Entrevista com Rubens Furlan – Parte final – Política

  • Para encerrar a entrevista especial que o Prefeito de Barueri concedeu ao Jornal “a rua”, veja o que ele fala sobre o futuro político e a esperança de um governo federal melhor.

    a rua: Vamos falar de política. O senhor pretende se candidatar novamente daqui dois anos?

    RF: Pretendo. Sou candidato à reeleição. Se for da vontade de Deus, se eu estiver com a saúde em dia e se minha popularidade estiver boa, serei candidato.

     

    a rua: Como o senhor vê uma possível candidatura de oposição do Fábio Teruel?

    RF: Eu nunca escolhi candidato para ser adversário. Para ele ser prefeito aqui, terá que ganhar de mim.

     

    a rua: Ele teria um suposto apoio de Gil Arantes…

    RF: Essas coisas são atribuídas a ele, mas acho pouco provável que o Gil estaria ligado. O que o Fábio quer do Gil? Financiamento? Ele não faz isso. Quando você quer ser candidato a alguma coisa, primeiro vá fazer um entendimento com o povo. Tem que pedir autorização para o verdadeiro dono do poder. Se autorizar, tudo bem. Se ele quiser ser candidato, tem o direito. Todos têm o direito, inclusive eu tenho direito a ser candidato à reeleição e vou exercê-lo.

     

    a rua: Para finalizar, estamos chegando ao fim do ano. O senhor pode deixar uma mensagem para todos os leitores do Jornal “a rua” e o que espera para essa virada de comando do estado e do país?

    RF: Todo o desenvolvimento do país, inclusive o da nossa região, depende da política econômica que vai ser praticada. Estou acreditando muito no próximo governo, cheio de esperanças. Acho que o Bolsonaro está reunindo os melhores, está se cercando de gente muito boa. Só não gostei de uma declaração que ele deu de mudar a embaixada de Israel, de Jerusalém para Tel Aviv. Nós perdemos na exportação, perdemos em alianças. Mas tirando isso, acho que ele está acertando em tudo: no combate ao crime organizado, no combate à corrupção, a equipe econômica dele é nova, sem vícios. Estamos saindo da esquerda total que delapidaram o patrimônio público como formigas em uma plantação, roubaram tudo, jogaram o Brasil no pior lugar que eu já vi. Nesta idade que estou, nunca vi tamanha crise sem precedentes. Agora vamos para a extrema direita. Estou com muita fé, não por ser extrema esquerda ou extrema direita, mas porque estou vendo muita sinceridade e muita vontade do Bolsonaro em fazer o país crescer. Não importa quem seja, eu quero que governe o país com presteza, com competência, com seriedade, que faça o que os brasileiros precisam de verdade.