Segunda-Feira, 17 de Dezembro -

  • Entrevista com Rubens Furlan – Parte 2 – Segurança, Infra-estrutura e educação

  • Continuando com a entrevista que o Prefeito de Barueri concedeu ao Jornal “a rua”, ele fala sobre o trabalho de manter a cidade mais segura, as obras nas baias de ônibus e a modernização do sistema de educação. Confira:

    a rua: Recentemente publicamos uma notícia das reformas nas baias de ônibus na região de Alphaville. Há um planejamento de obras para corredores até regiões mais afastadas do centro?

    RF: Não são corredores, até porque acredito que nem precisamos ainda de corredor. Barueri tem os pontos específicos. Então ainda não tem necessidade de fazer isso. Mas, por exemplo, onde passa os ônibus em Alphaville tem uma baia. Ali, o asfalto já estava se deteriorando, apresentava alguns buracos e infiltrações. Nós arrancamos tudo e estamos concretando, porque o concreto traz muito mais durabilidade. E estamos recapeando tudo nos arredores, terminando um viaduto no Araguaia, que dá acesso à Rodovia Castelo Branco; fazendo, no Parque Imperial, uma ponte que tem pilastras de 30 metros de altura, para dar uma segunda via e assim trazer maior flexibilidade ao fluxo de entrada e saída… Já estamos acertando uma nova saída por baixo do Parque Imperial para algum ponto de Alphaville também.

     

    a rua: Em outubro, o estudo “Melhores cidades para fazer negócios” promoveu Barueri do nono para o primeiro lugar na categoria desenvolvimento econômico. A quais fatores o senhor atribui essa elevação de posto?

    RF: É esse esforço que fazemos na segurança, no sistema viário, na própria cidade. Quando você faz uma grande obra cultural, isso tem peso na hora de escolher onde vai ser instalada a empresa. Eles olham a preocupação pela cultura das crianças, dos jovens. Isso leva a uma evolução pessoal das pessoas. Tudo o que se faz aqui é pensando em dar condições para os empreendedores, melhorando a qualidade de vida da população. Torna a cidade boa para se investir.

     

    a rua: Barueri foi a única cidade brasileira reconhecida no prêmio internacional “Cidades e Assentamentos Humanos Sustentáveis”, realizado em Bangkok, na Tailândia…

    RF: Quando tomei conhecimento desse prêmio fiquei muito feliz, porque estamos avançando a cada dia. Nessa conversa de ‘Cidade Inteligente’ a cidade não pode ser burra, então estamos avançando muito na área e os primeiros resultados começam a aparecer de forma surpreendentemente extraordinária. Toda vez que Barueri aparece nos rankings de uma forma que enobrece não só a cidade, mas, neste caso, o Brasil, para nós é uma alegria. Para as pessoas que pretendem fazer investimentos aqui, isso tem muita influência. Inclusive para o desenvolvimento humano e na qualidade de vida em geral.

     

    a rua: Comente como anda a educação no município.

    RF: Quando eu entrei, no primeiro ano, eu consegui entregar uniforme só em agosto. O kit escolar não consegui comprar. Tive que comprar lápis e borracha separadamente. No segundo ano, aperfeiçoamos e entregamos os uniformes em maio. Para o próximo, em 1º de fevereiro será entregue kit escolar, uniforme e toda informatização (tablets, lousa eletrônica). Vamos modernizar todo o sistema educacional de nossa cidade. As últimas licitações estão sendo feitas. Estamos fazendo investimentos na ordem de R$ 40 milhões em tecnologia de ponta para a educação, inclusive com a parceria com o Google, na qual eles ofereceram ferramentas, pesquisas. É um projeto educacional do Google. A educação em Barueri está recebendo as tecnologias Google, um conjunto de ferramentas voltadas para a aprendizagem, comunicação e colaboração com o ambiente escolar. Inauguramos esses dias o programa voltado para a educação da primeira infância. Mandamos gente daqui para Harvard. Voltaram com a responsabilidade de passar para todos os profissionais o que eles aprenderam lá.