Quarta-Feira, 13 de Dezembro -

  • Entrega de Título a Doria é marcada por protesto e tumulto

  • Protesto e muito tumulto. Esse foi o clima que marcou a entrega do Título de Cidadão Osasquense ao prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), na noite desta segunda-feira, 09/10, na Câmara de Osasco. A honraria que é entregue às pessoas que prestaram relevantes serviços a Osasco foi proposta pelo presidente da Câmara, o vereador Dr. Lindoso (PSDB) e aprovada por unanimidade na Casa de Leis.

    Porém, o que era para ser uma noite de festa foi marcada por protesto e confusão. No plenário, manifestantes com cartazes se mostraram contra a entrega da homenagem. Nas  placas dizeres como: “Fora Doria, golpista”, “Osasco envergonhada” e “O que o Doria fez para ganhar título e cidadão?” se somavam com os gritos de “Fora Doria”. Ao mesmo tempo, alguns aliados, levantavam faixas de apoio ao tucano – com fotos de Doria, Lindoso e do governador Geraldo Alckmin – com os dizeres: “Juntos por um Brasil melhor”.

    Com o acesso restrito ao plenário, já que agentes da GCM (Guarda Civil Municipal) trancaram a porta, parte dos manifestantes ficou do lado de fora, sendo uma parte do saguão de entrada da Câmara e outros na rua.

    Assim que o homenageado chegou, o presidente da Câmara, Dr. Lindoso fez uma mudança na programação, e a sessão solene que aconteceria no plenário Tiradentes, foi cancelada. Com isso, a entrega da honraria aconteceu no gabinete da presidência.

    Lindoso, o anfitrião da noite, explicou que não deixaria o protesto atrapalhar a entrega da homenagem. “Eu estudei e queria fazer um belo discurso, mas, eu não vou deixar que meia dúzia de pessoas tentem atrapalhar a nossa festa. Estou muito honrado de ter proposto esta homenagem, que foi aprovada por unanimidade. O senhor que é o João trabalhador é digno de receber o título de cidadão Osasquense”, disse Lindoso que ainda usou do humor para descontrair o ambiente. “Quero aproveitar a presença do prefeito Rogério Lins e pedir o seguinte, já que o prefeito Doria criou a “Cidade Linda” e nós temos a questão das divisas, o senhor poderia criar o “Cidade Lindosa”, brincou.

    Já o prefeito da Capital falou que sente orgulho em receber o Título de Cidadão da cidade trabalho. Ele também falou da possibilidade de realizar parceria com a Prefeitura de Osasco. “O objetivo é fazer ações cooperadas para melhorar o serviço público em prol da população mais carente, para isso, nosso secretário de Saúde já estão agendando um encontro como secretário de saúde de Osasco, além disso, queremos desenvolver ações nas áreas de transporte público, mobilidade urbana, educação, entre outras”, explicou.

    Questionado sobre a manifestação, Doria disse que não tem medo de fazer enfrentamento e que respeitou a decisão de Lindoso de mudar o protocolo do evento e, ainda responsabilizou os partidos de esquerda pela manifestação na Câmara. “Eles que gostam de radicalizar o discurso. Eu prefiro o sentimento liberal que é o que presta serviços a população, ou seja, menos grito e mais trabalho”, disse completando. “Eu me elegi prefeito, contrariando a todos. Fiz uma campanha correta, sem falar mal de ninguém. Fizemos um campanha vitoriosa, ganhando em 1º turno, um fato histórico. Não tenho medo de cara feia e nem xingamentos, pois, quem enfrentou o PT não tem medo de nada”, disse acrescentando que o Brasil não é como outros países que adotam linhas mais de esquerda. “Brasil não é Venezuela, que é um país que merece o nosso respeito. Para aqueles que respeitam a democracia, como eu respeito, eu peço que acreditem que a nossa voz, que é a voz da maioria do povo brasileiro será ouvida no ano que vem. Ano de eleição é ano de democracia e isso se faz com voto e não com grito, com agressão ou xingamento. E eu falo isso como cidadão e prefeito, e isso não tem nada a ver com uma possível pré-candidatura, até porque a tempo para isso. Estou dizendo isso em defesa dos bons princípios”, completou.

    Ao término da homenagem, Doria deixou a Câmara de Osasco, pela garagem, sob escolta da GCM. Alguns ovos foram arremessados no carro do prefeito da Capital.