Quarta-Feira, 22 de Novembro -

  • Eduardo Kobra entrega em Bristol o mural ‘Imagine’

  • O muralista Eduardo Kobra entregou, na cidade de Bristol, na Inglaterra, o mural “Imagine”, inspirado em John Lennon (Liverpool, 9 de outubro de 1940 – Nova York, 8 de dezembro de 1980). Com 16X16 metros, a obra, que consumiu 300 latas de spray, foi realizada por Kobra de 25 de julho a 1 agosto, todos os dias das 8h às 21h. Kobra viajou a Bristol a convite do UpFest – The Urban Paint Festival, considerado o maior evento de arte urbana da Europa. Durante uma semana, artistas de Street Art de todo o mundo pintaram suas obras em muros do bairro de Bedminster. O Kobra recebeu a parede principal do evento para realizar seu mural. “Eu já havia pintado Lennon na exposição que fiz em Roma, com dez personalidades que contribuíram para a paz e a arte no mundo, e em Wynwood, Miami, no mural Give Peace a Chance e pensei muito antes de optar pelo mesmo tema. Mas por que não recorrer ao mesmo ‘personagem icônico’ se a intolerância, a falta de diálogo e a guerra continuam recorrentes no mundo? O olhar de Lennon ainda é atual. E olhar para a mensagem de Lennon permanece fundamental”, diz Kobra.

    O muralista brasileiro, nascido no bairro do Campo Limpo, em São Paulo, conta que aproveitou os poucos horários livres, especialmente no último dia, para visitar os murais de Bansky, nascido em Bristol, espalhados pela cidade inglesa. “Bansky é o artista que mais admiro. Tem um trabalho simples e, ao mesmo tempo, incrível e revolucionário. E é também um mito, porque consegue se manter como uma figura anônima mesmo em um mundo onde todos têm um celular para tirar fotos e rapidamente compartilhar nas redes sociais”, afirma Kobra.

    O artista brasileiro conta ainda que ficou impressionado com a cidade de Bristol. “É a capital da street art e também a Capital Verde da Europa. Um lugar belíssimo, que leva transforma a rua em um grande museu”, diz Kobra, que chega em São Paulo, para planejar seus novos trabalhos e descansar alguns dias ao lado de sua esposa, Andressa Munin, e seu filho Pedro (“não estou aguentando de saudades do Pedrinho”), de um ano de idade. Em outubro, Kobra irá para Mumbai, na Índia, para pintar um novo mural.

    Antes, da Inglaterra, Kobra fez, de 17 a 24 de julho, em Boulogne-sur-Mer (Bolonha-sobre-o-Mar), na França, dois murais – um de 15X10metros e outro com 17X13metros – que conversam entre si. Um dos painéis mostra Claude Monet (14 de novembro de 1840, em Paris, a 5 de dezembro de 1926, Giverny) pintando e segue a linguagem dos murais do artista brasileiro sobre personalidades que inspiraram a paz e a arte. O segundo mural traz a pintura “Mulher com Sombrinha” (1875), também conhecida como “Madame Monet e o filho”, de Monet, e reproduz “fielmente” a obra do grande impressionista. Juntos, os murais receberam o nome de “Família Monet”.  “Fui no ano passado na casa do Monet, em Giverny, na França e já na época pensei em criar alguma coisa sobre ele. Claro que já conhecia e admirava seu trabalho, mas conhecer as telas de perto e a atmosfera em que viveu e realizou suas obras foi impactante demais. Mas eu não queria simplesmente pintar a face de Monet em algum mural. Quando recebi o convite da Prefeitura da Bolonha-sobre-o-Mar e descobri esses dois pequenos prédios entre as opções para realizar o trabalho, solicitei os dois e criar uma obra, dentro do meu projeto de história e memória, onde os dois prédios interagissem”, conta Eduardo Kobra, que acrescenta: “criamos uma obra onde em um mural vemos Monet segurando o Godet (palheta de cores) e no outro está a cena que ele pintou. O mural que mostra o Monet tem a minha linguagem, meu estilo e jeito de pintar. Já o outro mural traz a cena que Monet pintou, da sua família, o que foi um grande desafio. Foi impossível chegar perto de sua maestria e genialidade”.

    A primeira etapa da atual viagem de Kobra à Europa aconteceu de 9 a 15 de julho, em Sandefjord, na Noruega, onde pintou, a convite da Art for All in the World, um novo mural “Etnias – Todos Somos Um”, mesmo título da obra feita em 2016 no Boulevard Olímpico, no Rio de Janeiro, para destacar a importância do respeito à diversidade. “Optei por esse tema porque é hoje cada vez mais importante falar, falar novamente e insistir mais ainda sobre a importância do respeito à diversidade de povos, culturas, raças e religiões” diz o artista, que colocou no mural personagens que simbolizam a 

    Oceania, Europa, América, África e Ásia.

    O mural começou com a uma inusitada participação: a primeira-ministra do País, Erna Solberg, deu a primeira “pincelada” no mural: “a sua participação foi impactante, porque reforçou a importância que a Noruega dá à difusão do tema da tolerância. Foi por isso que fiz questão de deixar no trabalho final a traço de tinta azul feito por ela.

    O muralista brasileiro viajou para os três países com Agnaldo Brito e Marcos Rafael, artistas que o acompanham em quase todos os trabalhos. De acordo com Kobra, nos três países (Noruega, França e Inglaterra) os murais são feitos com tinta spray, tinta acrílica e esmalte sintético.