Domingo, 16 de Dezembro -

  • CFM faz lobby contra a ozonioterapia no Congresso Federal

  • O Conselho Federal de Medicina (CFM), junto com outras 26 entidades médicas, se pronunciou contra a tentativa de aprovação da ozonioterapia, aplicação de ozônio e oxigênio com finalidade terapêutica complementar em doenças inflamatórias, infecciosas e circulatórias — no Congresso.

    As entidades emitiram nota de repúdio contra o Projeto de Lei do Senado nº 227/2017, que autoriza a prescrição do tratamento complementar no Brasil.

    No documento, os médicos enfatizam que autorizar a oferta da técnica sem a certeza de sua eficácia e segurança “expõe os pacientes a riscos, como retardo do início de tratamentos eficazes, avanço de doenças e comprometimento da saúde”.

    A Associação Brasileira de Ozonioterapia (ABOZ) argumenta que, se a técnica for aprovada, poderá reduzir entre 20% e 80% os gastos do SUS ao substituir tratamentos convencionais para algumas doenças.  Já o CFM afirma não ter encontrado evidências científicas de eficácia do tratamento.