Quarta-Feira, 19 de Setembro -

  •  

    Barueri também é reduto de beisebol

     

    Do ponto de vista da popularidade, o beisebol é um esporte pouco conhecido da maioria da população brasileira, certo? Pode ser, mas nem por isso ele deixa de ter vez nas escolas esportivas do programa Barueri Esporte Forte, que tem quatro polos (Aldeia de Barueri, Jardim Maria Helena, Parque Viana e Parque Imperial). Há 30 meninas e 87 meninos de 6 a 17 anos matriculados. Eles têm aulas de uma hora e meia, de duas a três vezes por semana.

     

    A Secretaria de Esportes de Barueri firmou recentemente uma parceria com o Tampa Bay Ray, da Flórida, time da MLB (Major League Baseball), a mais alta divisão desse esporte nos Estados Unidos, para que os alunos tenham um melhor aprendizado e comecem a disputar campeonatos já em 2019. O representante é o brasileiro Adriano de Souza, diretor de operação, que já foi jogador e está sempre em busca de novos talentos.

     

    O beisebol brasileiro é heptacampeão sul-americano e já teve quatro brasileiros que conseguiram ingressar na MLB, dois deles em 2017: Thyago Vieira, do Seattle Mariners e Eric Pardinho, que aos 16 anos já conseguia arremessos superiores a 150 km/h. O contrato milionário que assinou com o Toronto Blue Jays foi considerado superior ao que Neymar ganhava quando tinha a mesma idade.

     

    O maior orgulho, entretanto, é Pedro Henrique Rodrigues Soares, formado em Barueri e que integra a seleção brasileira adulta.

     

    Um pouco de história

    O “baseball” foi criado em 1845 nos Estados Unidos, onde é um dos esportes mais populares. Está atrás apenas do futebol americano e do basquete. É muito apreciado no Japão, Coreia do Sul, Austrália e em alguns países da América como Cuba e Venezuela. No Brasil, começou a ser praticado por funcionários de multinacionais no estado de São Paulo ainda no século XIX e posteriormente por imigrantes nipônicos, cujos descendentes continuam predominando em todos os clubes e seleções.

     

    O beisebol esteve fora dos jogos olímpicos nas duas últimas edições, mas poderá voltar em Tóquio em 2020, desde que as entidades internacionais do beisebol (IBAF)  e do softbol (WBSC), esportes muito semelhantes, se unifiquem. O softbol é praticado em ginásios e predominantemente por equipes femininas.

     

    Matrículas

    O Barueri Esporte Forte aceita matrículas no beisebol ou em cerca de 20 outras modalidades de crianças de ambos os sexos a partir dos 6 anos. Os pais interessados devem comparecer ao Ginásio Poliesportivo José Corrêa (rua Guilherme P. Guglielmo, 1000, Centro) de segunda a sexta-feira, das 8 às 17h, munidos de cópia do RG, cópia do comprovante de endereço residencial, uma foto 3×4 e atestado médico.